Todos os dias o agronegócio brasileiro e especialmente a produção de soja e milho é louvada, com razão, pela mídia e pelos políticos, pela sua grande e perseverante contribuição à balança comercial brasileira.

Mas qual é a importância da soja e do milho no consumo do brasileiro?

O IBGE faz periodicamente um levantamento do consumo doméstico dos brasileiros em diferentes regiões do Brasil, a POF – Pesquisa de Orçamento Familiar. O último foi realizado em 2008. Ele levanta 658 produtos, organizados em 19 grupos e 35 subgrupos.

Afinal, quanto a soja e o milho contribuem para alimentar o brasileiro? A soja e o milho são imprescindíveis na produção de carne suína, frangos e ovos e na produção de óleo de cozinha.

Os dados do POF mostram que o brasileiro consome 330 kg de alimento por ano. As bebidas, os laticínios, os cereais e as leguminosas (principalmente arroz e feijão) são os grupos de alimentos mais consumidos e respondem por 40% de todo o nosso consumo. As frutas e hortaliças respondem por 17%, as carnes por 8%, as aves e ovos por 5%.

A grande parte dos laticínios e da carne que consumimos é o resultado do milagre da transformação, pelos animais ruminantes, de capim em proteína e que permite ao Brasil ser competitivo. As outras carnes, suínos e outras, que dependem do fornecimento de soja e milho, representam 33% da carne consumida e 3% do alimento total.

Aves e ovos são o outro alimento que exige soja e milho para a sua produção. Eles respondem por 5% do alimento consumido.

Ainda temos os óleos de soja e milho e a gordura de porco. Os óleos e gorduras são 3% de todo o alimento consumido e os óleos de soja, milho e gordura de porco 2%.

Resumindo, os alimentos, que dependem do fornecimento da soja e do milho: carnes suínas e outras - 3%, aves e ovos – 5%, óleos e gorduras – 2%, só respondem por 9% do consumo dos brasileiros.

Esta é uma análise simplista mas que pode servir de alerta principalmente na definição de políticas públicas, especialmente para culturas como frutas e hortaliças, tão importantes na alimentação e na saúde dos brasileiros e na sobrevivência dos pequenos produtores.

Anita de Souza Dias Gutierrez