O SIEM – Sistema de Estatística e Informação de Mercado é abastecido com dados e gerenciado pela SEDES – Seção de Economia e   Desenvolvimento do CEAGESP, que também é responsável pelo monitoramento dos preços praticados no mercado e a publicação diária da Cotação de Preços da CEAGESP.

Os dados de 2012 de alface permitem retratar o comportamento da comercialização da alface na CEAGESP paulistana:

A oferta de alface não varia muito ao longo do ano, sendo maior nas épocas de maior consumo – dezembro a abril. O gráfico mostra a grande predominância das alfaces crespa e americana e a estabilidade de oferta ao longo do ano com uma pequena diminuição nos meses mais frios.

 

grafalface2

A proporção da alface hidropônica varia pouco com o grupo varietal ao longo do ano, com exceção da alface romana. A alface hidropônica representou 6% do volume total da crespa, 7% da mimosa, 5% da lisa e 5% da romana. Nos meses de maio e junho a proporção de hidropônica na mimosa foi maior.

No ano de 2012 foram registrados a entrada de alface 310 dias, 103.303 notas fiscais de produtor (23% do total de notas fiscais), 4.191.564 engradados de alface e uma entrada média por dia de 13.521 engradados.

O volume de alface registrado foi de 49.977 toneladas, uma média de 161 toneladas por dia. Existe grande variação do volume de entrada por dia de semana. A segunda-feira responde por 25% do volume de entrada semanal, a terça por 17%, a quarta, a quinta e a sexta por 16% cada uma e o sábado por 10%.

A CEAGESP paulistana é abastecida com alface por cinco estados: São Paulo (98%), Minas Gerais, Paraná, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, Santa Catarina. A alface crespa predomina em todos os estados. Santa Catarina tem uma proporção da americana, lisa e romana. Não existe registro de mimosa de outros estados.

Quarenta e cinco municípios paulistas enviaram alface para a CEAGESP, em 2012, nove mineiros, 4 paranaenses, três gaúchos, quatro cariocas e um de Santa Catarina – num total de 67 municípios.

Quatro regiões agrícolas respondem pela alface paulista comercializada na CEAGESP – Sorocaba, São Paulo, Mogi das Cruzes e Bragança Paulista. Sorocaba tem o maior número de municípios fornecedores (12) e garantiu em 2012 - 69 % do volume paulista, seguida pelas regiões agrícolas de São Paulo com 16%, Mogi das Cruzes com 9% e Bragança Paulista com 4%. Os municípios de Piedade e Ibiúna, da região agrícola de Sorocaba, enviaram, para a CEAGESP paulistana em 2012, 31.934 toneladas de alface – 65% do volume total.

tabalface2

Um grande número de atacadistas (188), permissionários da CEAGESP paulistana, comercializa alface. O maior deles responde por 7% do volume, os quinze primeiros por 50% e os quarenta e seis primeiros por 80%. Uma parte importante da oferta vem de produção do próprio atacadista e de seus parceiros.

A maioria dos atacadistas recebe alface americana (158), crespa (143) e mimosa (138). O número de atacadistas diminui quando se trata de alface romana (95), crespa hidropônica (62), lisa hidropônica (55), mimosa hidropônica (73), romana hidropônica (25).

A acurácia destas informações é função da qualidade de preenchimento da nota fiscal pelo produtor, que alimenta o banco de dados do SIEM – Sistema de Informações e Estatística de Mercado.

Anita de Souza Dias Gutierrez e Cláudio Inforzato Fanale

Centro de Qualidade em Horticultura da CEAGESP